CASA RIETVELD SCHRÖDER

Arquiteto: Gerrit Rietveld, 1888-1964

Local: Utrecht, Holanda

Data: 1924-1925

O Arquiteto

Gerrit Thomas Rietveld foi um importante arquiteto e design de produtos holandês. Desde quando ainda era estudante já trabalhava com marcenaria e produção de mobiliário e se identificava com o movimento artístico Neoplasticismo, que exerceu profunda influência sobre o design, as artes plásticas e a poesia, e que pregava um novo ideal de harmonia e ordem baseados na simplicidade das formas e a utilização das cores primárias.

Em 1917, projetou uma das cadeiras mais famosas do mundo: a cadeira Vermelha e Azul, um ícone do movimento. E quando se formou, em 1919, passou a ser membro importante do movimento Neoplasticismo, contribuindo com publicações da revista De Stijl (O Estilo).

A Obra

A Casa Rietveld Schröder é reconhecida mundialmente como uma das primeiras casas verdadeiramente modernas do mundo. Ela foi projetada antes da Villa Savoye, de Le Corbusier, e foi o primeiro edifício a incorporar as ideias do movimento Neoplástico. Ela significou uma ruptura bastante radical com a arquitetura que até então era praticada, tanto em relação a sua planta, quanto em relação as suas fachadas. Acima de tudo, esta casa é uma composição de linhas puras, planos e cores: a representação arquitetônica da estética neoplástica.

A casa foi encomendada pela Sra. Truus Schröder-Schräder, uma mulher bastante rica, filha de empresários da indústria têxtil, mas que não gostava do modo de vida que se inseria. Quando seu marido faleceu, ela concluiu que era hora de buscar o luxo da simplicidade, como ela chegou a dizer já ao fim de sua vida.

Num passeio pela casa, é possível perceber que tudo é simples e prático, e projetado em todos os detalhes para os moradores (a sra. Truss e seus três filhos ainda crianças). No hall de entrada, por exemplo, Rietveld projetou um cabideiro com duas alturas diferentes, para que adultos e crianças pudessem pendurar seus casacos.

O piso térreo pode ser considerado de certa forma tradicional. Em torno de uma escada se localizam a cozinha, a sala de jantar, a sala de estudo das crianças e um estúdio, tudo disposto de forma bastante funcional.

A magia da casa está mesmo no primeiro andar, pensado como um espaço de convivência. Enquanto as tarefas eram realizadas no térreo, no primeiro piso era onde todos podiam ficar juntos. Todos os espaços são abertos, lembrando muito um estúdio, uma ideia até então nada convencional! Mas também é neste andar que se encontram os quartos! Aposto que você está se perguntando: quartos num espaço totalmente aberto?

Painéis deslizantes conformam cômodos e modificam a casa completamente. Algo que até parece uma grande brincadeira: a casa poderia ser remodelada de acordo com a necessidade e a vontade dos moradores. Flexibilidade é a palavra que define este andar! Essas paredes retráteis foram pensadas para que as crianças tivessem a opção de empurrar as divisórias durante o dia para brincar numa área aberta e de fechá-las durante a noite em quartos privados. Neste projeto incrível, os móveis, também projetados por Rietveld, muitas vezes servem para mais de uma função, tendo em vista as diferentes possibilidades de conformação de espaços.

As cores também chamam a atenção: elas são utilizadas para distinguir espaços ou funções diferentes. Nas fachadas e no interior, cada componente tem a sua própria forma, posição e cor. O esquema de cores primárias combinadas com superfícies acromáticas é um marco desta casa e de muitas obras neoplásticas.

Você consegue imaginar uma casa dessa sendo projetada em 1924? Bastante inovadora para época não é mesmo?

Quer saber mais sobre a Casa Rietveld Schröder? Cadastre seu e-mail e receba conteúdo complementar para estudar e se inspirar ainda mais com esse ícone da arquitetura moderna!

E se você já está cadastrado fica de olho na sua caixa de e-mail pra não perder nadinha!