VILLA SAVOYE

Arquiteto: Le Corbusier (Charles-Edouard Jeanneret-Gris, 1887-1965)

Local: Poissy (arredores de Paris)

Data: 1928-1929

O Arquiteto

 

Quando se fala de arquitetura moderna (movimento nascido entre a primeira e a segunda guerra mundial, onde a necessidade de reformular cidades e construções exige uma mudança nos paradigmas arquitetônicos, evidenciando a necessidade de edifícios mais funcionais) um dos principais nomes é o do arquiteto Le Corbusier.

 

Além de importantíssimo arquiteto, Le Corbusier foi também um teórico que influenciou muitos colegas de profissão da sua época, e continua a influenciar ainda hoje. Ele pensava a casa como uma máquina de morar, tendo sempre a funcionalidade como uma das principais preocupações.

 

Uma de suas ideias mais relevantes foi a definição dos cinco pontos para uma nova arquitetura, que rompiam com o modelo arquitetônico recorrente até então e modificavam completamente a forma de se pensar a construção. Esses cinco pontos são:

 

1.       Pilotis – os pilares que liberam o edifício do solo e torna o térreo um espaço aberto e circulável, onde as pessoas poderiam passar livremente e ver através.

2.       Planta livre – resultado da separação entre estrutura e paredes de vedação, o que possibilita maior flexibilidade na utilização dos espaços

3.       Fachada livre – também resultado da separação entre estrutura e paredes de vedação, possibilitando que as paredes externas que antes recebiam os esforços estruturais agora possam receber grandes aberturas

4.       Janela em fita – também resultado da independência entre estrutura e vedação, as janelas longilíneas por toda a extensão do edifico possibilitando vistas panorâmicas e uma iluminação mais uniforme

5.       Terraço jardim – as coberturas passam a ser habitáveis, substituindo os telhados convencionais por terraços acessíveis.

A Obra

 

A Villa Savoye foi projetada para ser uma casa de veraneio para uma família composta por um casal e um filho e acabou se tornando um dos principais ícones da arquitetura moderna. Sabe porque esta casa é tão emblemática? Apesar de aparentemente simples, nela Le Courbusier utilizou todos os cinco pontos que propôs para uma nova arquitetura. Esta casa é considerada a síntese do pensamento do arquiteto.

 

Além disso, na Villa Savoye também é possível perceber como Le Corbusier se preocupava com a proporção do edifício. As fachadas são perfeitamente simétricas!

 

Quanto à distribuição dos ambientes, a casa é dividia em térreo, primeiro andar e terraço. No térreo, nível onde são projetados os pilotis para elevar a casa do chão, Le Corbusier concentrou as áreas de serviço (lavanderia, dependências de empregados e garagem). No primeiro andar se encontram as áreas sociais e privativas (cozinha, salas, quartos e banheiros). E o terraço, por sua vez, é o espaço da contemplação e do lazer.

Nesta casa, as aberturas não são locadas de forma aleatória. Elas são pensadas para garantir maior conforto aos ambientes através da ampla entrada de luz e ventilação natural. Esta preocupação com o conforto também é percebida no terraço, onde Le Corbusier projeta uma parede para barrar o vento e garantir que o espaço pudesse ser utilizado com maior frequência.

A luminosidade e as cores presentes no interior da Villa Savoye são muito interessantes e inovadoras para a época. As cores vivas do interior contrastam com o branco predominante e acentuam ainda mais a grande luminosidade dessa casa. Além disso, seu design purista, totalmente desprovido de adornos no exterior era também algo nada comum naquela época.

A Villa Savoye, além de ser a máxima expressão dos cinco pontos propostos por Le Corbusier, também traz outra ideia do arquiteto: a promenade architecturale (o percurso arquitetônico). As rampas reforçam essa ideia com as suas aberturas que permitem diversas visuais ao longo do percurso pela casa. A casa e sua arquitetura são melhores compreendidas a medida que se vai caminhando por ela num percurso contínuo e dinâmico.

Através dos tempos, a arquitetura sofre grandes modificações, e muitas vezes não é apenas uma mudança estética. A inclusão de novas tecnologias no setor da construção faz com novas linguagens arquitetônicas sejam adotadas com o passar dos tempos. Esse é o caso do projeto da Villa Savoye. Um projeto como este foi possível graças às tecnologias que se desenvolviam na época, como o concreto armado e a impermeabilização, hoje já tão conhecidos nossos! O contexto do pós guerra, aliado às novas tecnologias, possibilitou o surgimento de novas ideias e teorias sobre a arquitetura!

 

Dessa forma, a Villa Savoye tem seu lugar de destaque na história da arquitetura e hoje é declarada Monumento Histórico!


Mostrar Mais

Quer saber mais sobre a Villa Savoye? Cadastre seu e-mail e receba conteúdo complementar para estudar e se inspirar ainda mais com esse ícone da arquitetura moderna!

E se você já está cadastrado fica de olho na sua caixa de e-mail pra não perder nadinha!